Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

22 de setembro de 2017

Rui tornou-se homem de negócio

Galeno Amorim

Rui Flávio Chúfalo Guião é um empresário de sucesso. À frente dos negócios da sua empresa, o Grupo Santa Emília, de poderosas associações de classe ou, então, atuando como membro de entidades de serviço comunitário. Como acontece com quem tem tantas responsabilidades, tem uma agenda farta de compromissos. Mas se há algo que ele faz questão de preservar é o tempo para manter a leitura em dia. Leitor voraz desde muito cedo, começou lendo Monteiro Lobato. Mergulhou, em seguida, nas histórias de Robinson Crusoé e devorou toda a obra de Julio Verne. — Eles povoaram minha imaginação de heróis e soluções mágicas – ele garante. Rui Flávio descobriu os clássicos ainda no ginásio. Até hoje não conseguiu esquecer os olhos de ressaca da Capitu de Machado de Assis. Como a tensão do adultério não sacramentado em a Missa do Galo e os amores de Marília de Dirceu. A métrica de Castro Alves em busca das esmeradas de Fernão Dias um dia tocou fundo no seu peito juvenil, assim como as dores e odores do seu Navio Negreiro, a lógica de Rui Barbosa e a timidez do Ateneu de Raul Pompéia. Como a sinfonia de sons e idéias do padre Antônio Vieira, a majestade de Fernando Pessoa e... por aí vai. — Eu vivia e convivia com as histórias e estórias que lia – ele confessa. Mais tarde, entrou para a faculdade de Direito. Descobriu os clássicos antigos, os poetas gregos e romanos, os mestres do Direito Romano e a vertente que marcaria suas leituras nos anos seguintes: os historiadores. Agora por exemplo, embalado pela celebração dos 200 anos da chegada da família real ao Brasil, tem lido autores portugueses como Miguel Souza Tavares (Equador) e Domingos Amaral (Enquanto o ditador dormia). Já leu e releu várias vezes nosso Isaías Pessoti, que compara a Umberto Eco. Basta olhar com atenção a trilha de leitura que Rui percorreu enquanto crescia e fazia suas escolhas pela vida afora e logo se compreenderá a pessoa que ele é hoje. Essa é a magia da leitura.

Mais Crônicas

Todas as notícias sobre "Crônicas"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

570.240.000

Livros lidos em 264 dias de 2017 no país