Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

21 de julho de 2018

O que o seu produto esconde sobre você? Revele!

Juliana Ribeiro

Hoje vou dividir meu desafio profissional com vocês: trabalhar com um produto de valor considerado muitas vezes como subjetivo, o livro literário. Como convencer os clientes que meu produto não é supérfluo?

Mesmo com o crescimento nas vendas de livros no Brasil nos últimos anos, esse mercado continua desafiador quer seja pela falta de leitores, ações eficazes dos órgãos reguladores de sua comercialização ou de ações que incentivem a leitura, cujo produto é o livro em todas as suas formas.

É ao mesmo tempo um paradoxo, pois alguns o encaram como detentor de uma enorme vantagem pela flexibilidade da análise das aplicações de seus conteúdos de forma bem pessoal, portanto, parecendo mais fácil de se transitar e trabalhar comercialmente.

Apresentamos ao fim deste artigo o Infográfico: Panorama da Leitura no Brasil, baseado na 4ª edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil de Março/2016 realizada pelo Instituto Pró-Livro e IBOPE.

O Desafio

Em um mesmo texto literário podemos ter visões e aplicações de acordo com as experiências pessoais dos clientes (leitores), podendo haver até novas reflexões e informações agregadas em momentos diversos no decorrer de uma nova leitura, por exemplo.

Por não ter um meio tangível para quantificar e provar de antemão o quanto uma obra literária impacta na formação do intelecto, personalidade e nas ações praticadas na vida das pessoas, muitos no varejo e na sociedade afora não conseguem enxergar a importância desse produto e mercado na nossa vida, e o consideram supérfluo.

Criar e vender nesse mercado é um enorme desafio, sou exigida diariamente para lidar com uma característica tão humana: a dúvida.

Como mostrar em poucos minutos o valor do que não se vê? Como criar o desejo de algo que não se sente a necessidade na duração de um dia, como comer, beber e até respirar?

Seja o exemplo. Use o produto que você vende!

Desde que iniciei nessa carreira, em 2004, encarei a decisão de ser eu o maior modelo e exemplo do que busco mostrar, entregar e incentivar como valor ao meu cliente. A saber:

se me elogiam por falar bem, é porque tenho um histórico de leitura que enriqueceu meu vocabulário para isso;
ao conhecerem minha história de vida e de como faço minhas escolhas busco lembrá-los que na literatura encontrei visões e exemplos que se encontraram ou se distanciaram da minha realidade e me deram parâmetros para traçar meus caminhos conscientemente;
se querem saber se a leitura entedia, esclareço que o ato de ler coloca à todos em contato primeiramente consigo mesmo;
ler é a pausa para ficarmos a sós, em silêncio. Nos ouvir internamente, amenizando momentos de solidão e nos desacelerando em tempos tão frenéticos.
O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado.

Mario Quintana

Adquira sabedoria

São sem dúvida muito sábios e sagazes aqueles que passam a aplicar a leitura como investimento diário ou semanal, os elogio e demonstro minha alegria por suas escolhas a cada encontro, antecipando e tornando real o resultado que em breve terão – desde aqueles que só identificam seu benefício acumulado à médio ou a longo prazo até aos leitores profissionais que já sabem o que fazer com a experiência pessoal e informações adquiridas.

Em contato com bons conteúdos ambos perfis amplificarão suas visões, podendo criar novos caminhos em diversas áreas como:

melhorar as relações humanas e a convivência em sociedade,
contribuir com sistema político,
evoluir nas boas práticas referentes aos cuidados com animais e o planeta,
dedicar-se à soluções de problemas sociais,
visão sistêmica,
tornar-se referência, entre outros.
Movimenta a Economia

Além do que, a atividade comercial livreira também favorece a economia e gera muitos empregos. Com isso, a venda do meu produto torna-se imediatamente cada vez mais necessária, o que talvez não fosse tão claro na visão de alguns no início deste artigo, não é mesmo?

Exemplifiquei aqui o que todo comercial pode e deve fazer com seu produto: agregar valor à ele por sua experiência prática. Isso é primordial para dar-lhe credibilidade diante de seu cliente, conseguir sua atenção e vencer suas dúvidas.

Conclusão

Não importa o ramo em que você atue, terá sempre algo que seu produto impactará na vida das pessoas e na sociedade. Se ele não fizer bem à ninguém, te aconselho a deixá-lo, por favor!

Diga ao seu cliente apenas o que fazer com seu produto, e ganhe uma venda.

Mostre à ele como usá-lo da melhor forma também pelo seu exemplo e terá não só a venda mas também o futuro de seu negócio sendo pavimentado.

Por mais simples ou de valor subjetivo que ele possa parecer, profissionalize a sua cadeia mostrando porquê você, primeiramente, acreditou nele, e dê-lhe assim vida.

Seu produto esconde muito sobre você, revele!

Infográfico sobre o panorama da leitura no Brasil



*

Juliana Ribeiro é proprietária da empresa de representações comerciais Allure Consultoria, onde desenvolvo trabalhos na área comercial para empresas do ramo cultural (editoras, gravadoras), além de apresentações de palestras no segmento de e-commerce.

Mais Colunistas

Todas as notícias sobre "Colunistas"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

434.160.000

Livros lidos em 201 dias de 2018 no país

Publicidade