Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

19 de setembro de 2017

Prêmio Cátedra Unesco de Leitura 2016 faz sua cerimônia

Em 15 de dezembro ocorreu a cerimônia de um dos prêmios de leitura mais significativos do país, o prêmio Seleção Cátedra UNESCO de Leitura PUC-Rio. O evento foi na PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro). Entre os premiados do evento está a Novozymes, multinacional dinamarquesa que foi idealizadora do livro-aplicativo Frritt-Flacc, considerado pela comissão julgadora da Seleção Cátedra UNESCO de Leitura como parte da lista de obras recomendadas do ano de 2016.

A obra literária clássica Frritt-Flacc é do escritor francês Jules Verne. Seu enredo, em forma de suspense, gira em torno das diferenças sociais, abordando a indiferença humana frente ao problema e o suplício da pobreza na atualidade. Frritt-Flacc foi escolhido pela Novozymes para chamar atenção ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 1 (ODS 1), da Organização das Nações Unidas (ONU), que propõe a erradicação da pobreza. A Novozymes, através do Projeto Educação, tem como objetivo em educar um milhão de pessoas até 2020 sobre o potencial da Biologia em transformar o mundo.

Interatividade

No livro-aplicativo a obra ganhou uma versão repaginada, recebendo efeitos de áudio e possibilidades de interação. Estas características foram pensadas com o intuito de promover uma linguagem mais atrativa às crianças e adolescentes. A ferramenta dispõe ainda de conteúdo extra que apresenta situações mundiais atuais atreladas à temática da obra Frritt-Flacc.

“A ideia apresentada pelo aplicativo é pioneira, ela é bastante completa, pois traz as possibilidades (da literatura) geradas pelo seu enredo, intertextos, ou seja, ele te dá a possibilidade de trabalhar com a imaginação. O aplicativo dá a oportunidade de trazer autores clássicos para a atualidade, ele nos proporciona olhar para os clássicos com os olhos da contemporaneidade, em usá-los como uma ponte de reflexão diante dos problemas do mundo contemporâneo”, comenta a pesquisadora de leitura digital Benita Pietro, presidente do Instituto Conta Brasil.

A premiação vem para retratar que a literatura é peça-chave na formação de um mundo melhor. Este formato de livro-aplicativo é uma estratégia para despertar o interesse de novos leitores. “É necessário ampliar os projetos existentes e os novos, sobre o papel da literatura como agente de transformação. Para uma maior propagação desse universo, é necessário aumentar o número e a qualidade dos mediadores dessa literatura, das pessoas que apresentarão a literatura para a criança e para o jovem. Tais mediadores têm que mostrar que a literatura é algo legal e divertido de ser feito e mostrar que qualquer pessoa pode ler”, finaliza Benita Pietro.

Mais informações sobre o prêmio estão neste vídeo.

Mais Prêmios para quem faz

Todas as notícias sobre "Prêmios para quem faz"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

563.760.000

Livros lidos em 261 dias de 2017 no país