Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

18 de dezembro de 2017

Desmistificando o livro digital e sua operação de todos os dias

Camila Cabete

Se a Camila de 2012 estivesse lendo agora esta coluna, ela estaria muito chocada, pois ela achava que, em 2017, tudo já estaria resolvido e andando perfeitamente. Querida Camila de 2012, não seja ingênua! A vida é assim e nunca é demais falar de coisas que VOCÊ acha básico. Veja bem, em 2017 sua coluna mais lida é sobre a diferença entre ePub e PDF. Sossega esse faixo e continue em frente.

Bom, agora que dei o recado a mim mesma, sigamos à mensagem: não é porque é digital, que é automático. Você ficaria horrorizado se soubesse o tantão de coisas que fazemos diariamente, um a um, na mão. Falo de livrarias digitais, editoras, distribuidoras etc. Justamente por conta disso, é muito importante o acompanhamento dia a dia de seu acervo. Não basta pegar a planilha ou ONIX com metadados, arquivos e pronto, jogar na plataforma e esquecer que vai vender como água e se auto administrar. Não! Existem alguns aspectos que gostaria de frisar, para que façam esse acompanhamento diário. Vou listar porque sou virginiana, tudo bem?
- Metadados: Você precisa administrar dia a dia, entrar nas lojas para ver se está tudo direitinho, entrando na categoria correta, com capa correta. Todos os espaços que existem na planilha, ou no modelo de ONIX são essenciais para seu e-book aparecer bem nas buscas e na loja. Se não preencher, vai ficar vazio. Por mais que nós das livrarias amemos vocês, seria humanamente impossível eu preencher os metadados das mais de "trocentas" editoras em nossa plataforma. Existe inclusive um espaço que muitas nem dão muito valor, chamado related ISBN que vai linkar seu livro impresso ao e-books e vice-versa e vai aumentar muito as suas vendas. Metadado é poder! Grave isto.
- Relatórios: quando você recebe o relatório do fechamento financeiro das livrarias, guarde-os. Mesmo que o pagamento seja pouco e vá acumular para pagamento posterior, estes livros listados nos relatórios vão ser de extrema importância para faturá-los. Os pagamentos e relatórios são feitos por humanos, com base nas informações de download, diretamente no servidor das livrarias. Se houver alguma coisa que não bate, você tem que contatar a livraria (o quanto antes) e não acumular um ano de relatórios e pagamentos feitos e não acompanhados e por isso solicitar uma auditoria. Isso vai ser demorado e um tanto doloroso para ambos os lados.
- Promoção: se você combinar uma promoção, você precisa administrar a mudança de preços. Principalmente se você não tem a ajuda de uma distribuidora, precisa administrar seus metadados para refletir a promoção acordada. Não é sempre que a livraria vai te ajudar fazendo isso um a um. Portanto, na promoção mude os preços e quando acabar, volte com os preços normais. Se achar isso tudo um saco, contrato uma distribuidora que faça isso para você.
- e-Book precisa ser divulgado: ele raramente vai se vender, por si só. Precisa incluir o livro digital em sua estratégia de marketing. A frase “também disponível em e-book” escrita em letras pequenas no pé de numa peça raramente vai ajudar muito nas vendas de seus produtos digitais. Você tem que agir como uma mãe diante da criação de dois irmãos. Fez uma coisa para o impresso, tem que fazer para o digital. Nada de favoritismos.
- Processos: documente os processos de cada livraria. Se sua equipe mudar, tenha isso documentado. A administração do conteúdo digital tem uma curva de aprendizado. Se você não documentar, a cada mudança sua equipe vai ter que entrar em contato com cada uma perguntando tudo de novo. Todo o know how anterior vai ser perdido. Embora nós das livrarias respondamos tudo com amor no coração... dá um nervosinho quando isso acontece, que nem te conto.
- O e-book é seu amigo: ele não tem consignação, impressão, importação... Algum trabalhinho ele tinha que te dar, mas é muito mais fácil que a operação do papel. A dificuldade é uma questão de mudança de paradigma.
- Não dê a edição de seu arquivo a terceiros: se você permite que uma livraria converta e cuide de sua edição digital (seja audiolivro, e-book ou impresso), você está colocando na mão de terceiros uma parte importante estratégica de seu negócio. Os leitores digitais percebem isso e algumas vezes pedem o dinheiro de volta se não fica satisfeito com a diagramação. Fora que você está cada vez mais tirando o papel da editora na cadeia do livro. Tome as rédeas de seu conteúdo!
Se precisar de ajuda estou à disposição sempre, repito coisas sem me incomodar, minha formação é para magistério, amo fazer isso. A única coisa que me deixa um pouco irritada é a falta de importância que este seu novo produto tem dentro de sua organização. Ele só vai ganhar volume se você se dedicar a ele. É tipo um filho mesmo, acho.
Esta coluna está disponível em áudio, na voz desta que vos escreve, AQUI
(Trigger alarm - este áudio é caseiro e não foi editado. Seja bonzinho em sua avaliação

(Publishnews - 11/04/2017)

*

Camila Cabete (@camilacabete no Twitter e camilacabete no Snapchat) tem formação clássica em História e foi responsável pelo setor editorial de uma editora técnica, a Ciência Moderna, por alguns anos. Entrou de cabeça no mundo digital ao se tornar responsável pelos setores editorial e comercial da primeira livraria digital do Brasil, a Gato Sabido, além de ser a responsável pelo pós-venda e suporte às editoras e livrarias da Xeriph, a primeira distribuidora de conteúdo digital do Brasil. Foi uma das fundadoras da Caki Books, editora cross-mídia que publica livros em todos os formatos possíveis e imagináveis. Hoje é a Brazil Senior Publisher Relations Manager da Kobo Inc. e possui uma start-up: a Zo Editorial (@ZoEditorial), que se especializa em consultoria para autores e editoras, sempre com foco no digital. Camila vive em um paraíso chamado Camboinhas, com seus gatos pretos Lilica e Bilbo.

Mais Colunistas

Todas as notícias sobre "Colunistas"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

758.160.000

Livros lidos em 351 dias de 2017 no país