Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

22 de setembro de 2017

Jovem conta com ajuda de amigos e lança livro após ficar cego e enfrentar 4º câncer

Lucas Borges Teixeira - UOL - 14/08/2017

Gabriel Santos Souza sempre quis ser escritor. Aos 14 anos, o sul-mato-grossense conseguiu publicar seu primeiro livro depois de perder a visão e enfrentar o quarto câncer. O jovem morador de Colina, no interior de São Paulo, lançou a obra de terror “Magno, O Espantalho” em uma festa na escola no final de junho.

O interesse por histórias de terror vem desde muito novo. “Ele assistia aos filmes do Freddy Krueger, Jason… Sempre adorou o Halloween”, conta o pai, Daniel Souza, ao UOL. “E também sempre gostou de contar histórias. Ele costumava reunir os coleguinhas na escola com contos de terror.”

A ideia do livro surgiu há cerca de um ano com uma redação sobre um monstro com cabeça de abóbora. Um professor da escola, Gustavo, ouviu Gabriel falar sobre o conto e o incentivou a escrevê-lo. “Eu não tinha ideia de que poderia virar um livro, mas foi tomando outra proporção”, lembra o jovem escritor, em entrevista ao UOL.

De acordo com o autor, “Magno, O Espantalho” narra a história de “um espantalho assassino que aterroriza uma escola agrícola”.

Com a visão comprometida nos dois olhos há um ano e meio, Gabriel contou com a ajuda do professor e de colegas para terminar a obra. Ele ditava a história para Gustavo, que a escrevia. Depois, alunos da escola o ajudaram com ilustrações internas.

Gabriel sofre com problemas da visão desde os primeiros meses de vida. Quando ainda morava no Mato Grosso do Sul, a mãe notou uma mudança na cor de seus olhos. Ele foi diagnosticado com retinoblastoma, um câncer raro na retina. Teve de retirar o olho esquerdo.

“Ele enxergava muito bem com o direito até um ano e meio atrás, conseguia copiar tudo, ler superbem. Mas aí ele começou a ter baixa neste olho também”, lembra o pai. A doença, que tinha sido dada como curada há 12 anos havia retroagido. “Agora, ele enxerga apenas alguns vultos.”

Estes não foram os únicos problemas médicos de Gabriel. Aos oito anos, ele teve de passar por outra cirurgia no GRAAC, em São Paulo. Desta vez, foi constatado um câncer ósseo no braço. “Os médicos até se assustaram”, lembra Daniel.

O câncer ósseo voltou a atacar neste ano. Como a família se mudou para Colina, os pais pediram a transferência do seu quadro médico para o Hospital do Câncer de Barretos, a pouco mais de 20 km da cidade. Agora, Gabriel enfrenta um tumor no fêmur da perna esquerda. De acordo com a família, ele reage bem. “Acabou o terceiro ciclo da quimioterapia na semana passada”, conta o pai.

Os problemas com a saúde não atrapalharam Gabriel. “Tive muita ajuda e apoio de todo mundo”, conta. No final de junho, o livro foi lançado em uma festa na Escola Técnica Agropecuária Municipal São Francisco de Assis, em que ele cursa a 8ª série, com a distribuição de 200 exemplares. A capa foi feita pelo cartunista Julinho Sertão, que já foi roteirista de Ziraldo. “Foi um dia inesquecível.”

Para estudar, Gabriel usa um notebook com ferramentas de áudio. “Ele é muito aplicado”, afirma o pai, orgulhoso.

No dia primeiro de setembro, a família viajará para Sertãzinho, também no interior paulista, a convite de Julinho Sertão, para expor “Magno, O Espantalho” na 13ª Feira do Livro da cidade. “Estamos muito animados”, afirma Daniel. O plano é lançar a segunda edição do livro, agora para venda, com 700 cópias.

Com registro de escritor desde o primeiro semestre deste ano, Gabriel já está trabalhando no seu segundo livro. Sem revelar detalhes da história, conta que será sobre zumbis e deverá se chamar “A Cidade Perdida”.

Mais Clipping do livro e leitura

Todas as notícias sobre "Clipping do livro e leitura"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

570.240.000

Livros lidos em 264 dias de 2017 no país